Skip to main content

Grupos de Pesquisa vinculados ao GPECPOP

 

 PIBID - EJA/EDUCAÇÃO POPULAR - FACED - UFU Uberlândia - Campus Santa Mônica

Descrição: Este subprojeto, da área de Educação Popular, articula-se com as propostas do Programa Institucional de Bolsa  de  Iniciação  à  Docência  –  PIBID,  em  desenvolvimento  na  Universidade  Federal  de  Uberlândia (UFU).  De  fato,  a  repercussão  do  PIBID  em  termos  de  suas  contribuições,  para  formação  docente  em serviço  e  inicial,  abrangendo  diversas  áreas  do  conhecimento  em  suas  versões  anteriores  (Pedagogia; Matemática; Cultura Afro Brasileira e  Indígena; Artes  e outras), é algo  inegável.   Entende-se a ampliação do PIBID, no que diz respeito à incorporação da Educação Popular como uma consequência desse êxito, mas,  também,  significando  a  ampliação  de  nossos  olhares  para  as  necessárias  relações  entre  a Universidade  Federal  de  Uberlândia  com  as  escolas  públicas  da  educação  básica;  escolas  estas  cujos alunos  são,  em  sua  maioria,  oriundos  das  classes  populares.   

Situação: em andamento; Natureza: iniciação a docência; pesquisa.

Coordenadora: Jorgetânia da Silva Ferreira

Integrantes:

Mais informações: http://www.pibid.prograd.ufu.br/node/573 

 

 PIBID - EDUCAÇÃO POPULAR - UFU Uberlândia - Campus Pontal 

Descrição: Este subprojeto de Educação Popular, em interface com o GPECPOP: Grupo de Pesquisa em Educação e Culturas Populares, ligado ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFU-PPGED, que desenvolve projetos de pesquisa, extensão e formação de licenciandos em comunidades populares com a participação de docentes da UFU, educadores populares e discentes de cursos de graduação e pós-graduação de diferentes áreas do conhecimento da Universidade Federal de Uberlândia – UFU. A proposta é integrar parte das atividades do PIBID às atividades do GPECPOP na capacitação de licenciandos em Educação Popular, especificamente Educação de Jovens e Adultos – EJA, nos sistemas públicos de ensino da cidade de Ituiutaba.

Situação: em andamento; Natureza: iniciação a docência; pesquisa.

Coordenadora: Karine Klinke

Integrantes:  Mical de Melo Marcelino (colaboradora); Supervisoras: Alda Barbosa dos Reis e Norbertina Bernardes da Silveira; Bolsistas: Allisson Francis Felismino, Aline Balioni Oliveira, Daiane Silva de Araujo, Douglas Ronaldo Silva, Elaine Souza Costa, Hellen de Sousa Coelho Netto, Leonardo Augusto Marson, Luiz Henrique de F. Filho, Patricia Ferreira Martins, Ricardo Denizio, Sulivan Higino da Costa Junior, Eslania da Silva Pimenta Ribeiro, Kamila Cardoso, Lorena Vilela Araujo, Sonia Maria de Lima Silva, Viviane Vieira Lacerda Rocha.

Mais informações: http://www.pibid.prograd.ufu.br/node/568

 

 Crianças na Educação Popular 

Descrição: O Grupo Crianças na Educação Popular iniciou suas atividades em Março de 2010 na Escola Municipal Professora Irene Monteiro Jorge. Esse grupo tem como objetivo a observação, conhecimento, apoio e compartilhamento do processo de alfabetização na infância, com vistas à pesquisa/ação, propor e desenvolver um trabalho conjunto (professor, pesquisador) que se realizam de forma lúdica desmistificando o método tradicional abrindo outras possibilidades de conhecimento, outras vias que auxiliam no processo de ensino-aprendizagem dos alunos do ensino fundamental juntamente com as professoras. Esses mecanismos nos possibilitam conhecer o universo dessas crianças que são moradoras da periferia de Uberlândia, considerando o método de ensino e a experiência e conhecimento das crianças inseridas nesta comunidade. O Grupo pretende ainda incentivar o acesso a outras vias de abordagens ou procedimentos pedagógico/didático, incluindo as artes e mais especificamente o teatro neste processo.

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa.

Coordenadora: Myrtes Dias da Cunha

Integrantes: Renata Mendonça Sanchez; 

Bolsistas: Ana Flávia Bezerra da Silva; Katia Lourenço Alves; Alessany Teixeira Barbosa; Nayara Paula de Oliveira; Giovanna Rúbia Coimbra Teixeira

 

 Grupo de (con)vivência sem violência: uma experiência de pesquisa e intervenção no bairro Morumbi

Descrição: O Grupo de (con)vivência sem violência teve inicio em 2010 em resposta a demanda apresentada por uma ONG situada no bairro Morumbi que trabalha com pessoas das classes populares. Tal demanda se relacionada à construção de teorias e práticas favoráveis à superação da presença da violência física e psicológica praticadas por membros do sistema familiar, pais, mães, avós, avôs, tios(as), padrastos, madrastas, irmãos(as), contra as crianças e adolescentes desse sistema. Dessa forma, foram criados dois Grupos de Convivência. O primeiro é constituído de profissionais da área de Pedagogia, Sociologia, Assistência Social e Psicologia que atuam na organização não-governamental, localizada em um bairro periférico no município de Uberlândia. O segundo é constituído de mulheres que participam de atividades promovidas pela referida organização. As reuniões desses dois Grupos visam à criação de um espaço coletivo de discussão sobre temas ligados à convivência entre pessoas; os temas para serem debatidos são escolhidos pelos participantes, favorecendo a resolução de conflitos sem a presença da violência e a formação permanente de multiplicadores(as). O trabalho desenvolvido pelo referido grupo configura-se como uma pesquisa-ação sobre educação e violência.

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa. 

Coordenadora: Sandra Vilas Bôas Campos

Integrantes: Myrtes Didas da Cunha: Andréa Porto Ribeiro

Bolsistas:  Pedro Afonso Cortez

 

 GRUPO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES(AS) DAS CLASSES POPULARES

Descrição: Nosso subgrupo atua na formação continuada de professores(as) que atendem crianças e adolescentes das classes populares. Esta pesquisa-ação sobre formação de professores(as) faz parte de um projeto amplo de investigação vinculado ao Grupo de Pesquisa em Educação e Culturas Populares do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia. No ano de 2010, começamos a investigar os significados das rodas de conversas na formação de professores(as), que atuam em escolas públicas de bairros populares do município de Uberlândia. Os docentes nem sempre se sentem preparados para atuar com as eventualidades e principalmente com a diversidade nas escolas, por isso encontram dificuldades em sua prática. Por outro lado, a formação inicial nem sempre é adequada e suficiente para atender às demandas cotidianas da escola. Por isso, propomos um curso de formação continuada para professores(as) de escolas públicas que trabalham com alunos(as) de escolas públicas.

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa.

Coordenadora: Graça Aparecida Cicillini

Integrantes: Eliane Santana Novais

Bolsista: Emilene Julia da Silva Freitas Carvalho

 

 

 GRUPO MATEMÁTICA E LEITURA - GML

Descrição: A partir de demandas apresentadas pela Ong Ação Moradia ao Grupo de Pesquisa em Educação e Culturas Populares - GPECPOP, sobre as necessidades e o cotidiano das atividades desenvolvidas na Ong, foi constituído o (sub)Grupo de Matemática e Leitura – GML. A partir do trabalho de observação e acompanhamentos feitos na Ong, o GML comprometeu-se a desenvolver pesquisas e ações relacionadas às demandas: compreensão dos cálculos de produção e atribuição dos preços dos produtos desenvolvidos nas diversas unidades produtivas (UP´s) da Ong; às técnicas de produção; à utilização de moldes com vistas à maximização de materiais; à construção e utilização de tabelas eletrônicas; à compreensão dos conhecimentos matemáticos inerentes e necessários à tais processos, entre outras. Assim, entre 2010 e 2011 o GML implementou ações e pesquisas tendo como metodologia as rodas de conversa em Módulos de Aprendizagem nas UP’s. Já de 2011 até o momento, vem desenvolvendo atividades relacionadas à alfabetização, alfabetização matemática e inclusão digital no telecentro (Laboratório de Informática) com as trabalhadoras das diversas UP´s, como uma consequência e continuidade daquelas atividades desenvolvidas nos anos anteriores. Destacamos que por meios destas atividades estamos desenvolvendo subprojetos relacionados à Etnomatemática, Culturas Migrantes e Alfabetização pelos/as bolsista da Pedagogia, da Geografia e por docentes de Matemática do Ensino Básico.

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa.

Coordenadora: Benerval Pinheiro Santos

Integrantes: Iraides Reinaldo Silva; Ronicley Eduardo Corrêa de Araújo

Bolsistas: Milena Abadia de Sousa; Lucas Santana de Sousa; Cinara Ribeiro Peixoto; Pablo Guimarães Andrade.

 

 Mulheres, Trabalho e Movimentos Sociais

Descrição: Desenvolvemos o projeto  Mulheres, Trabalho e Movimentos Sociais, com o objetivo de pesquisar as trajetórias das mulheres; refletir sobre as relações de gênero, tanto no trabalho comunitário como nas relações familiares com o propósito de dar visibilidade para suas lutas cotidianas.

A construção de nossa problemática partiu da constatação de que na escrita da história do Brasil as mulheres são representadas com uma imagem, frágil, sem instrução, sem iniciativa, apenas esperando o casamento e a maternidade. Desta forma construíram-se estereótipos que não se enquadram na experiência das africanas escravizadas, das que trabalhavam como empregadas e amas-de-leite na casa dos ricos, das trabalhadoras das indústrias, das prostitutas e vendeiras.

Daí nosso interesse em identificar o trabalho realizado por algumas mulheres dos setores populares de Uberlândia que muitas vezes chefiando seus lares, dão enormes contribuições para melhorar a vida das comunidades nas quais estão inseridas, mas que sob o ponto de vista da escrita da história, não são evidenciadas por não serem consideradas significativas e relevantes para o processo histórico.
 

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa.

Coordenadora: Wilma Ferreira da Silva

Integrantes: Olenir Maria Mendes; Jorgetânia da Silva Ferreira; Mário Costa de Paiva Guimarães Júnior

Bolsistas: Moisés Oliveira Machado; Marcos Willian Campos de Oliveira

 

 Arte na Educação Popular

Descrição: Em parceria com o GEPLEL (Grupo de Estudos e Pesquisas em Leitura, Escrita e Literatura), desenvolvemos projetos de pesquisa e extensão voltados para a literatura - livros, autores, leitores e leituras -, as artes dramáticas, a música e a dança, a fim de refletir sobre o papel da arte na Educação Popular, propondo ações junto a grupos sociais em situação de exclusão, em espaços escolares e não escolares. PROJETOS: "Mulheres Assentadas e suas Leituras como Experiência Política" (CNPq, 2009-2010-auxílio e 1 bolsa); "Seminários de Estudo: Leituras em Bourdieu" (desde 2009), "Curso de Capacitação 'Literatura na Escola'" (PEIC/2011-auxílio e 1 bolsa), "História da leitura no Brasil: constituição do campo e formação de leitores" (Bolsa PIBIC/FAPEMIG/2012), "Literoteca 'Luiz Vilela': leitura literária no Campus do Pontal"; "Educação Popular: vamos fazer arte?" (PROEXT/2013).

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa.

Coordenadora: Karina Klinke

Integrantes: Aurelino José Ferreira Filho; Mical de Melo Marcelino; José Josberto MontenegroKarina Klinke; Karin Ferreira Borges.

Bolsistas: Daniel Feó Castro de Araújo; Rodrigo Greppe Severino de Souza

 

 Grupo de Artes, Tecnologias digitais e Educação Popular

Descrição: As novas tecnologias e o mundo da informação já são inerentes as (rel)ações humanas, onde o tecer social se engendra criando uma dinâmica em que tempos e espaços múltiplos se entrecruzam sempre se resignificando. Se por um lado temos alguns pessimistas que apontam o mundo da informação como algo catastrófico para as relaçõe sociais, por outro, podemos entender que ao entrar em contato com o outro e com os múltiplos - espaços e tempos -, estes sujeitos podem se perceber dentro de uma dinâmica global, e entender e conviver com o outro agora encontra novos horizontes que permite, a nosso ver, criar novas possibilidades para o tecer social.

As fronteiras entre arte, tecnologia, ciência e educação tornam-se cada vez mais difusas. Processos de criação e aprendizagem entrecruzam a poesia e a sensibilidade das artes, os avanços e a complexidade das tecnologias, a objetividade da ciência e a humanidade da educação.

Assim sendo quando pensamos e sugerimos esse eixo temático para uma discussão coletiva do tema, entendemos que apesar das desigualdades e problemas sociais enfrentados em nosso país, não podemos negar que as tecnologia e informação hoje conseguemm interagir e estar presente no cotidiano de todas as classes sociais. Desta forma e tendo em vista a importância de pensar as classes populares, as novas tecnologias, a arte e a educação como meio de (re)produzir e (re)significar o mundo digital, este eixo temático abre espaço para uma discussão coletiva de como a cultura digital interage com a cultura popular e de que forma essas novas tecnologias da informação e comunicação (TIC's) podem e não são usadas para o processo de criação e ensino-aprendizagem com e para as classes populares.

Situação: em andamento; Natureza: pesquisa.

Coordenadora: Arlindo de Souza Junior

Integrantes: 

Bolsistas: João Augusto Neves Pires; Bruno Aparecido de Paula Paim; Emyli de Sousa Soares

___________________________________________________


 

 

Pró Reitoria de Extensão